IMMEASURABLE
SCHOOL OF WISDOM AND
COMPASSION

Resourcing Young Communities for Wholesome Living

  • https://facebook.com/immeasurable8
  • White YouTube Icon
CONTACT

Aoteroa/New Zealand and Brazil

jaime8ju@gmail.com

+55 14 991092506 (whatsapp)

NEWS

Join Our Mailing List. Always be the first to know about what's going on with our organization

© 2019 by Immeasurable

  • Immeasurable

Imensurável • Por Tarchin Hearn no e-Book Sangha Work, pag. 43 (Acesse aqui o e-book original)

Updated: Jan 23, 2019

Este ensaio teve origem em Wangapeka em 2000. É uma prática maravilhosa em si e pode ser uma ferramenta inspiradora para usar no contexto do trabalho de sangha. Leia-o lentamente com pausas frequentes para respirar e permita que as palavras invoquem uma experiência direta dentro de você. Aplique-o aos seus amigos e seus inimigos e à mosca que pode estar zumbindo pela sala. Possa esta maneira de olhar nutrir sua compreensão dos outros de muitas maneiras maravilhosas.


Oh meu amigo, eu respiro e me sinto repousando firmemente na terra; o ventre do devir. Eu abro meus olhos de apreciação e olho profundamente para o todo de você. Tudo de mim reverberando com o tudo de você. Eu vejo sua mãe e pai e irmãos e irmãs. Eu vejo suas tias e tios, seus primos, avós e bisavós. Eu vejo seus amigos e adversários, seus professores e guias. Eu vejo conhecidos e estranhos de passagem. Todos esses seres; todos e cada um deles têm necessidades, fome, apetites, sentimentos de falta e aspirações; uma rede de ações rumo ao alcançar e tornar-se.


Eu respiro e olho profundamente em você e vejo o mundo inteiro; o universo se desdobrando na singularidade do ser que é você. Meu amigo, você é imensurável. Até mesmo a menor ou aparentemente menos importante parte de você é imensurável. Sentir a vastidão do seu ser, tanto gigante quanto pequena, me enche de imenso maravilhamento; a admiração assaltada em face ao mistério tão grande quanto todo o universo. Eu toco em você, me tocando, tocando tudo; mistério imensurável de quatro jóias preciosas.


Meu amigo, eu sinto as marés de respirar e repousar incrustadas na maravilha do agora, bebendo a transitoriedade que é você. A tapeçaria de causas e condições, cada uma moldando sua existência; pessoas mudando, sociedades mudando, células mudando, moléculas mudando, o sol enviava fótons, ciclo da água, terra e organismos, e fotossíntese no ar; essa inteireza ininterrupta, essa cintilação miraculosa, essa novidade cada vez mais renovada que é você. Essa "mente de principiante", esse brilho ainda não nascido, essa matriz continuamente iluminada de estar com cores e possibilidades inesperadas. Respiro e olho profundamente dentro de você e vejo uma infinidade de tecelagens contínuas e ininterruptas. você morre e dá à luz a alguém que eu ainda tenho que encontrar. Mistério indefinível, imensurável, de quatro jóias preciosas.


Meu amigo, a respiração do meu conhecimento reflui e flui com o refluxo e fluxo de sua respiração de conhecimento. A singularidade do seu ser desafia a comparação. Não como assim e assim. Não como ontem. Não melhor que antes ou mais inteligente que ele ou mais honesto que ela. Este mistério universal de você é incomparável. Você não é como qualquer coisa que já foi e nada será como você de novo.


Meu amigo, eu repouso com a plenitude do que você é, todo julgamento, toda valorização; bom, ruim, indiferente, dissolvendo-se na vibrante surpresa do agora. Você é imensurável e seu mistério ilimitado desperta e cria e dá a luz no mundo as quatro preciosas jóias.


Oh meu amigo, os filhos deste encontro são chamados de Bondade, Compaixão, Alegria Simpática e Serenidade; Quatro Preciosas Jóias. Eles nascem de olhar imensuravelmente e eles dão origem ao conhecimento da imensurabilidade. Deixe-me dar-lhe mais uma ideia do que quero dizer.

No mês passado, alguns amigos me deram uma foto impressionante tirada do Telescópio Hubble. Ele mostrou o que parecia ser um campo de estrelas, mas ao ler a legenda, descobri que apenas alguns pontos de luz eram estrelas e que todas as outras bolhas, ovais e espirais eram galáxias, cada uma contendo dezenas de milhares de estrelas. Lendo mais, dizia "Este é o nosso universo: camada sobre camada de outros mundos, até onde o olho - ou o Telescópio Hubble - pode ver. A luz de algumas das galáxias nesta visão levou 11 bilhões de anos para chegar até nós. A maior bolha branca no centro superior é um dos mais próximos, a apenas quatro bilhões de anos-luz de distância". A imagem por si só é bastante impressionante, mas lendo mais eu descobri que a fotografia cobria uma área do céu igual ao tamanho de um grão de areia mantido no comprimento do braço.


Algumas semanas atrás, eu estava em retiro na cabana no topo de Wangapeka. Sentei-me na madrugada, banhando-me no brilho de incontáveis ​​números de estrelas. Quando os últimos se desvaneceram à luz da manhã, estendi meu braço com um grão de areia no final de um dedo e vi que a um braço de comprimento, um grão de areia cobre a área de apenas uma estrela. Eu apontei meu grão de areia "telescópio" em todas as direções imaginando na minha mente o vasto número de galáxias que existiam, invisíveis aos meus olhos, em todas as direções. Quantos grãos de areia no comprimento do braço seriam necessários para apagar o céu? Quantos mundos, quantos seres sencientes existem, talvez neste mesmo movimento apontando seus próprios grãos de areia e imaginando pensamentos semelhantes?


À medida que a luz aumentava, dirigi meu 'telescópio' de grãos de areia para uma árvore. O telescópio tornou-se microscópio e no olho da mente foram revelados um número incontável de células, organelas, moléculas e átomos. Quantos grãos de areia no comprimento do braço seriam necessários para cobrir uma árvore? Um pássaro pousou em um galho, revelando órgãos cheios de microrganismos que eram compostos de órgãos, células, moléculas, etc. Mover meu telescópio/microscópio de grão de areia em todas as direções revelou um universo que é realmente imensurável. Como é dito nos ensinamentos da totalidade da Hwa-yen; reinos dentro de reinos dentro de reinos, todos interpenetrando, e mutuamente moldando um ao outro, sem obstrução.


Como você deve saber, nós nos dedicamos este ano* em Wangapeka ao cultivo do que é chamado no Budismo, Os Quatro Imensuráveis. Estas são a Bondade Amorosa, a Compaixão, a Alegria Simpática ou Empática e a Serenidade ou Equanimidade. Por favor, junte-se a nós, mesmo que você não possa vir a Wangapeka. Olhe para seus filhos. Olhe para sua mãe ou pai. Olhe para o seu cão ou os cogumelos roxos crescendo no final do jardim. Olhe com bondade amorosa, genuinamente desejando-lhes tudo o que é bom. Olhe com compaixão, vendo suas lutas e permanecendo firme, estando lá para eles de qualquer maneira que ajude. Olhe com alegria compreensiva, borbulhando com sua alegria e sucesso sem uma insinuação de ciúme ou inveja surgindo em seu ser. Olhe com serenidade, olhos de profunda apreciação, conhecendo e compreendendo a vasta complexidade e milagre de suas vidas. Bondade amorosa, compaixão, alegria e equanimidade inmensuráveis.

Meu amigo, tente fazer uma pausa muitas vezes no decorrer de cada dia para repousar na consciência da sua respiração. Deixe qualquer tensão amolecer no livramento, o suspiro da expiração. Abra seus olhos e olhe profundamente, apreciando e sendo movido pela imensurabilidade de tudo o que você vê. Que a experiência destes quatro imensuráveis ​​floresça no jardim da sua mente para o benefício de todos os seres.



*Como Tarchin informa, este ensaio surgiu no ano de 2000, ele não está falando de 2018 ou 2019, mas é tão significativa e atual a sua sugestão que podemos nos comprometer com confiança e abertura com essa prática para o resto de nossas vidas!




https://greendharmatreasury.files.wordpress.com/2014/12/sangha-work-kk-series-revised.pdf?fbclid=IwAR0-1k11KLV11_wPG5prYAw9reAbt2j1WolpWWAq96C9kKiZYTpv6loLXwI

31 views